sábado, 30 de agosto de 2014

Casa nova nem sempre é vida nova

Cortesia Google.
Quem desaparece depois de meses, tem novidades a contar com toda a certeza. Eu não sou excepção, se há pessoa que não tem uma vida monótona, essa sou eu mesma. Sair da terrinha, faculdade, pós-graduação, call-center, namorado maravilhoso, Baby Benedita, viver na casa da sogra, comprar o nosso ninho e por fim continuar, agora, na casa do sogrão.
Temos o nosso ninho, como sempre sonhámos, sonhámos com ela, mas sem saber como queríamos na realidade. Queríamos um local agradável, com as condições mínimas para ser habitável, não a queríamos minúscula, que desse para fazer uma zona comum (leia-se cozinha, sala e uma mesa para refeições familiares e de convívio) que desse para aumentar a família, e que evidentemente, tivesse um preço acessível. É fácil falar em características e condições, difícil é encontrá-las, demos sorte, ao abrir a porta, um hall demasiado grande, iluminado pela luz natural, ilumina qualquer pessoa, ilumina a alma, ilumina o espírito e o tlimmm aparece na nossa cabeça. Ficou, agora é nossa, mas há sempre um mas, precisamos de arranjar o mínimo para uma criança de um ano (é verdade já tem um ano, o tempo passa) e as obras começam, um dia uma coisa, no outro dia outra, à afinal ainda vem mais isto, e já faz quase um mês, cá estamos na casa do sogrão. Mudámos de ares, comprámos uma casa, mas a vida continua igual, dependemos uns dos outros, e afinal quando vamos ser apenas nós? Por enquanto tudo continua igual, e nem sempre casa nova é vida nova.
Aqui estamos nós em Oeiras, passámos de autocarro para comboio e sola de sapato, de gente aos berros para passeios junto ao rio, da paisagem cheia de prédios para casas bonitas e mar. Afinal existem sempre mudanças, e estas parecem bem melhores; e para continuar o meu pensamento bipolar, começamos a correr decentemente com um pt especial - o sogrão, no primeiro dia foram dois km, no segundo quase 4km e no terceiro quase 5km, e esta manhã temos mais.  Afinal existem sempre mudanças, e estas parecem bem melhores!

Have fun,
M

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Instamoment! #2

Foto: Eu vou, eu vou, para casa com a Bi eu vou!  #motivação #biclaesaia #transportedecabeloaovento #positivar #positivelife
Novavida, novos transportes. Apresento-vos a Bi.

A minha entrada na baixa. A maior praça da Europa, a mais bonita.

Foto: Bom dia! #caisdaribeira #semfiltro #manhasassim #barulhodorio

O renovado Cais da Ribeira. Trajecto preferido do dia.

Have fun,
M


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O que é viver... Reflexos de uma noite bem passada.

Neste momento espero a partida do comboio. São quase uma da manhã. Ñ acho tarde, mas amanhã vou achar com toda a certeza. Amanhã espero pessoas com dilemas maiores que os meus, pessoas que querem ser melhores que hoje, e eu espero poder fazer melhor que hoje. 
Vamos ao que interessa, ñ escrevo nesta 'merda de blog' há mais de uns quantos meses ( meses que nem conto), ñ é porque ñ goste de escrever ou porque ñ sinta falta de vomitar os meus desabafos, é porque nem tempo para vomitar existe. 
A vida... Por vezes é uma bela treta, por vezes sabe surpreender. Hoje foi uma noite que soube surpreender, do ridiculo saiu algo glorioso (e não estou a falar do Benfica), as pessoas que por vezes desprezo a elas devo agradecer uma noite bem passada, devo agradecer o convívio, as lamentações, as canções, os desabafos, a sinceridade, o conhecimento, o conseguir ultrapassar e saber ser maior. 
Afinal o que é viver? Viver de sonhos ou de realidades? Eu vivo realidades, a minha e a dos outros. Neste momento ñ oiço uma única palavra em português, é tudo estrangeiro, olha em volta, vejo, vejo gente a chorar, a falar algo estranho, mas consigo entender, ñ é feliz. Será que sabem o que é viver?
Eu sei que nada sei, que sei que ñ sei viver, mas a sonhar até sei que sei viver, e assim vivo, vivendo, um dia de cada vez. Afinal quem sabe viver?


Have fun,
Ocorreu um erro neste dispositivo