terça-feira, 24 de novembro de 2015

A maravilha da maquilhagem. Ou não.




Comecei a usar o clássico risco preto por volta dos meus 15 anos. Depois passei a usar o rimel, o batom, o blush e por fim uma corzinha na pálpebra, mas só em dias de festa.
Agora com 27 anos e com um trabalho de atendimento ao público, a maquilhagem devia fazer parte do meu dia a dia. Sim, devia. Não a uso diariamente por pura preguiça.

Usar maquilhagem não se prende apenas por usar esfumados, couturing e outras técnicas que todas adoramos experimentar, podemos utilizar apenas o top5 (uma base, um corrector de olheiras/iluminador, rimel, blush e um batom) e a nossa aparência já é outra. Torna-nos mais iluminadas, mais confiantes e até mais felizes. É exactamente nos dias, em que não me apetece tirar o pijama que me maquilho, "levantar o astral", aumentar a minha confiança pessoal é importante para conseguir gerir as minhas emoções e levar o dia a dia, como se tudo fosse perfeito.

Nestes últimos anos tenho tido uma ajuda preciosa. Colegas peritas em maquilhagem que me tem feito estar atenta às mais variadíssimas novidades, graças a elas já comprei a minha base de eleição (Estee Lauder Double Wear), comprei pincéis (que ainda não utilizei a maioria), máscaras, lápis de sobrancelhas e variadíssimas cores de batons (os que tenho usado mais).

A grande batalha que se segue é saber aplicar bem os produtos, principalmente as sombras e o clássico eyeliner (verdadeira dor de cabeça), estou a milhas de me sentir segura ao aplicá-los. Nos dias de festa, faço umas batotas e peço ajuda à minha querida Inês. Por isso, pretendo evoluir um pouco mais nos próximos tempos.

Além dos mais variadíssimos blogs, videos, que nos ensinam imensas técnicas de aplicação e de utilização dos mais vastos produtos, podemos sempre preferir o formato papel. Este mês ocorreu o lançamento do livro Bonita todos os dias, onde se podem encontrar as dicas mais básicas para começar do zero, também podemos acompanhar a autora no seu blog. Chamou-me à atenção por prometer começar do zero. Isso mesmo, não me faz grande sentido ver imensos vídeos de técnicas XPTO se não entendo por onde devo inciar, o que é melhor para o meu tipo de pele, o que devo utilizar em cada ocasião; uma"bíblia" das mulheres modernas.

Outro blog, que me foi sugerido e que acho bastante útil é o Make Down. A diferença é que ela percebe os rótulos, e diz-nos que às vezes o barato é bom, e o caro nem sempre merece o nome que tem. Por vezes, as marcas são boas num determinado produto, mas nem sempre a qualidade se reflecte em toda a gama.

Deixo umas imagens dos dias de menor preguicite.





By Makeaup looks da Inês






Have fun,

M

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo