sábado, 10 de novembro de 2012

All you need is L♥ ve






Não foi assim há tanto tempo, 8 meses não são propriamente uma eternidade. No entanto, todos os momentos parecem eternos, parecem ter a capacidade de durar mais e mais, parecem não se extinguir e a cada dia que passa, parece que existe um vínculo para ser até onde o "horizonte" permitir.

Se me dissessem à uns meses, o quanto me iria sentir enamorada ao oitavo mês, não veria qualquer probabilidade. Os relacionamentos passados marcam-nos, deixam feridas que custam a passar e com o tempo tornamos-nos rígidos em certos aspectos, também com eles, aprendemos a conhecer-nos melhor, aprendemos as nossas reacções, e essencialmente, descobrimos qual a nossa forma de amar, descobrimos a nossa forma de lidar com o amor do outros por nós. Ao sétimo mês, aquele que dizem ser o mês em que aparecem as dificuldades, em que dizem que as personalidades chocam, realmente eu pensava que sim, era assim que me sentia; no primeiro relacionamento nem lá chegava sem que acabássemos e voltássemos um montão de vezes, no segundo estava mesmo farta, não sabia se queria, se não queria, se gostava ou se não gostava, até perdi a fé na união matrimonial, "isso é coisa para outras!", dizia. 

Agora minha gente, a conversa é mesmo outra, estou enamorada. Passou o mês 7 e já vou no 8 e sinto-me cada vez mais enamorada. Porque é assim, quando encontramos alguém que nos apoia, alguém que cuida de nós, um homem que nos respeita, um homem que nos continua sempre a olhar como se fossemos únicas, um homem que faz tudo por nós, um homem que nos leva carecas (croissant maravilhosos) porque a menina disse que tinha desejo, um homem que nos deixa sonhar e é capaz de ouvir os nossos sonhos, que sonha connosco, um homem que nos faça sentir que vamos andar de mão dada para sempre, como os velhinhos que passam na rua, e principalmente um homem que nos ama. E tudo o resto se torna secundário, o que é mais importante para além disto?

Não o acho único, acredito que existam muitos homens assim, mas apenas quando amam verdadeiramente e quando sabem ser companheiros, por isso não desacreditem, eles "andam aí". Agora este menino/homem é meu e só meu, até onde o "horizonte" permitir.


Have fun,
M

1 comentário:

Ocorreu um erro neste dispositivo